Filme “Graça e Coragem”

O aclamado e globalmente popular livro de Ken Wilber, Graça e Coragem, foi transformado em um longa-metragem estrelado por Mena Suvari e Stuart Townsend, com Frances Fisher, Rebekah Graf, Nick Stahl e Mariel Hemingway – produzido, escrito e dirigido por Sebastian Siegel. A adaptação cinematográfica explora a coragem, o comprometimento, a transcendência de Ken e Treya … e a descoberta do amor além da vida.

Veja aqui o trailer do filme, que teve seu lançamento antecipado para o início de 2020!

Sinopse do livro “Graça e Coragem – Espiritualidade e Cura na Vida e Morte de Treya Killan Wilber”:

Em 1983, o filósofo Ken Wilber conheceu Terry Killam, e imediatamente ocorreu entre eles um “reconhecimento” mútuo. Após um breve namoro, casaram, mas a sua felicidade desvaneceu-se quando Treya (Terry) foi diagnosticada com câncer. A sua lua-de-mel deu-se num hospital, iniciando-se assim o atribulado período de cinco anos que o casal viveria até à morte desta excepcional mulher.

Em Graça e Coragem, as reflexões de Ken entrelaçam-se com o diário de Treya, dando lugar a um relato profundamente humano que transmite o impacto que esta experiência tem na vida do casal e que os leva ao questionamento das suas convicções espirituais perante a realidade da enfermidade e da morte. Esta é uma obra sobre a espiritualidade “real”, que examina a visão da “Nova Era”, que apresenta os aspectos essenciais das grandes tradições de sabedoria do mundo inteiro, e que nos dá um retrato vibrante e honesto de saúde e de cura, de totalidade e de harmonia, de sofrimento e de entrega.

“Eu trarei o medo para o meu coração. Para encarar a dor e o medo com abertura, aceitá-los, permiti-los. Perceber que isto cria maravilhamento em vida. Alegra meu coração e nutre minha alma. Eu sinto esta felicidade. Não estou tentando derrotar minha moléstia; estou me permitindo acolhê-la, perdoá-la. Eu continuarei vivendo, não com raiva e amargura, mas com determinação e alegria.”

Publicado pela Editora Gaia, (originalmente publicado em 1991).

A Sombra e as Projeções

“Projeção” é um mecanismo de defesa psicológica que as pessoas empregam inconscientemente para se proteger de sentimentos ou emoções difíceis, nas quais você projeta suas falhas, suas fraquezas, suas inseguranças e outros sentimentos indesejáveis ​​em outras pessoas. Isso permite que você se isole da crítica, da auto-reflexão genuína e da eventual transformação, recusando-se a assumir a responsabilidade por suas falhas e, ao mesmo tempo, culpando os outros por elas.

E nós não apenas projetamos as “nossas sombras mais escuras” sobre os outros, nós também projetamos nossa bondade, lançando virtudes não integradas em pessoas que não necessariamente incorporam essas mesmas qualidades – pelo menos não da mesma forma com que você faria -, o que pode atrasar ou até retardar o desdobramento de seu próprio desenvolvimento.

Negligenciar o trabalho necessário para “limpar” suas próprias projeções de sombra, diminuirá sua capacidade de despertar para a realidade sempre presente; atrapalhará a força do desenvolvimento necessária para Crescer através das ondas de mais e mais totalidade; e irá restringir sua capacidade de plenamente Estar Presente em sua vida, em seus relacionamentos e em seu mundo, como a força Desperta do poder evolutivo que você realmente é.

Se você está projetando seus mais elevados anjos ou os piores demônios, isto são apenas diferentes características de auto-ilusão que enfraquecem a sua felicidade, sabotam seus relacionamentos, e distorcem sua percepção do mundo, como quando você olha para um espelho de circo quebrado, onde tudo o que você vê é o seu próprio reflexo distorcido.

Reflexões

Reserve alguns momentos para refletir sobre sua própria capacidade de projetar suas qualidades positivas e negativas em outras pessoas, e veja se consegue identificar alguns de seus próprios padrões de projeção fazendo as perguntas a seguir.

Tente pensar em um “relacionamento negativo” em sua vida. Existe alguém com quem você freqüentemente experimenta conflito, resistência ou atrito?

Considere a possibilidade de que a origem do atrito que você sente com essa pessoa não se origine apenas na relação com essa pessoa, mas com você e com suas próprias qualidades inconscientes e não integradas. Tente conscientemente relaxar quaisquer pensamentos defensivos que possam surgir à medida que você refle sobre essa questão.

Pergunte a si mesmo: “O que estou evitando?” Muitas vezes, temos um relacionamento difícil com, por exemplo, nossos sentimentos internos de raiva, e por isso projetamos essa raiva nos outros. “Eu não estou com raiva, você é o único que está com raiva.”

Depois de identificar a fonte mais profunda de sua projeção, tente se envolver diretamente com ela. Imagine que essa qualidade não integrada esteja em uma cadeira à sua frente e pergunte: “O que posso aprender com você?”

Agora que você está em diálogo com seu próprio padrão de projeção, tente entrar no sentimento difícil ou no núcleo da emoção, e deixe expressar-se através de você. Se é uma aversão à raiva, então seja raiva . Se é uma aversão à tristeza, então seja tristeza . Se for uma aversão à vulnerabilidade, então fique vulnerável . Veja como é encarar esses sentimentos desafiadores de frente, para que você possa melhorar sua resiliência interna ao mesmo tempo que integra a sabedoria que está presente em você na raiz de seu padrão específico de projeção.

Mais importante, seja gentil consigo mesmo. A projeção é um mecanismo de defesa psicológico perfeitamente natural, e todo mundo faz isso. Simplesmente traga mais consciência para seus padrões de projeção. Isso permitará reconhecê-los mais facilmente sempre que surgirem, o que, por sua vez, afrouxará a pressão em relaçao aos seus pensamentos, comportamentos e bem-estar emocional.

por Corey deVos
https://integrallife.com/patterns-of-projection-reclaim-the-best-of-you/


Leia também O processo 3-2-1 da sombra.